Polícia italiana mata suspeito de ataque em Berlim

Na passada segunda feira, dia 19 em Berlim, na Alemanha houve um ataque terrorista com um camião, onde 12 pessoas morrem atropeladas numa feira e pelo menos 48 ficaram feridas.

Ao que tudo indica o suspeito de ter executado essea tentado terrosta foi morto nesta madrugada de sexta-feira, dia 23 em Milão, na Itália.

Anis Amri, um tunisiano de 24 anos, foi encontrado perto dum posto de controle da polícia em uma estação ferroviária da cidade de Sesto San Giovanni, nos arredores de Milão. Foi imobilizado pelos polícias por volta das 3h. Estava sozinho e no momento recusou a identificar-se, mostrando os seus documentos de identificação. Segundo o polícia, Amri estava armado e conseguiu ferir um dos polícias no ombro. Foi então que o segundo polícia presente no local decidiu disparar contra o tunisiano, matando-o.

O ministro italiano do Interior, Marco Minniti, afirmou nesta sexta-feira que “não há sombra de dúvida” de que o suspeito morto era tunisiano e o seu nome era Anis Amri,  elogiando o policia que fazia a ronda de rotina e que consequentemente matou o suspeito: “Ele foi muito corajoso”; “Agradeço aqueles que estão na estrada neste momento, a polícia, as forças armadas porque não é fácil confrontar com uma ameaça de terrorismo e garantir um nível adequado de segurança. Mas nós garantimos. Sucesso a todos”, afirma Marco Minniti

Perto de Anis Amri, foi encontrado um bilhete de comboio que, segundo a Divisão de Investigações Gerais e Operações Especiais da Itália, coordenada por Alberto Nobili (chefe das operações antiterrotismo de Milão), o tunisiano chegou a Itália pela França na passada quinta-feira, dia 22.

O terrorista teria chegado ao país por Chambery, na região francesa de Savoia, e de lá foi para Turim, no Piemonte, onde acabou por apanhar o comboio para Milão, chegando à Estação Central. Por fim, o tunisiano dirigiu-se a Sesto San Giovanni, onde acabou por ser morto

A polícia italiana tinha informações de que o suspeito poderia estar na região de Milão. Amri morou durante vários anos na Itália, onde também cumpriu pena de prisão.

VÍDEO MOSTRA TUNISIANO EM MESQUITA DE BERLIM APÓS ATAQUE