Valor contabilístico (“Book Value”)


O que é o “Valor Contabilístico”?

O valor contabilístico de um ativo é o valor pelo qual este é registado no balanço, sendo calculado subtraindo ao seu custo as depreciações acumuladas. O valor contabilístico também se pode referir ao valor patrimonial líquido de uma empresa, calculado como ativo total menos ativos intangíveis (patentes, goodwill) e passivos. Quando se trata de um investimento inicial, o valor contabilístico pode ser líquido ou bruto de despesas, tais como custos de negociação, impostos sobre vendas, taxas de serviço, entre outros.

Desarticulando o ‘Valor do Contabilístico’

Valor contabilístico também é conhecido como ” valor contabilístico líquido (NBV-net book value)” e, no Reino Unido, “valor patrimonial líquido”.
Como valor contabilístico de uma empresa, este tem dois usos principais:

1. Ele serve como o valor total dos ativos da empresa que os acionistas teoricamente receberiam se uma empresa fosse liquidada.

2. Quando comparado com o valor de mercado da empresa, o valor contabilístico pode indicar se uma ação está sub ou sobreavaliada.

No que toca às finanças pessoais, o valor contabilístico de um investimento é o preço pago por um título ou pelo investimento feito em dívida. Quando uma ação é vendida, o preço de venda menos o valor contabilístico é o ganho (ou perda) do investimento.

Custo histórico

O termo valor contabilístico decorre da prática contabilística de registar o valor de um ativo pelo seu custo histórico original. Enquanto que o valor contabilístico de um ativo pode permanecer o mesmo ao longo do tempo por meio de cálculos contabilísticos, o valor contabilístico de uma empresa pode crescer dada a acumulação de ganhos gerados pelo uso de ativos. Uma vez que, o valor contabilístico de uma empresa representa o valor da participação dos acionistas, comparar o valor contabilístico com o valor de mercado das ações pode servir como uma técnica de avaliação para se decidir se as ações estão razoavelmente avaliadas.

Avaliação Mark-to-Market

Há limitações na forma como o valor contabilístico pode ser uma “proxy” para o valor de mercado das ações quando a avaliação “mark to market” não é aplicada sobre ativos que podem ter aumentos ou reduções dos seus valores de mercado ao longo do tempo. Por exemplo, uma propriedade imobiliária de uma empresa pode ganhar valor de mercado, enquanto que a maquinaria que lá existe pode perder valor de mercado devido a avanços tecnológicos. Nesses casos, o valor contabilístico medido pelo custo histórico distorceria um ativo ou o valor real de uma empresa, face ao que é realmente cotado no mercado.

Rácio Price-to-book

O rácio price-to-book (P / B) serve como ferramenta de avaliação para a comparação de valores entre empresas semelhantes, dentro da mesma indústria, quando ambas seguem um método de contabilístico similar no que toca à avaliação de ativos. O rácio não pode servir de base de avaliação válida quando se comparam empresas de diferentes setores e indústrias, porque algumas empresas podem registar os seus ativos pelos seus custos históricos e outras empresas registarem os seus ativos pelo valor de mercado. Como tal, um rácio alto não seria necessariamente uma avaliação positiva e, inversamente, um rácio baixo não seria automaticamente uma avaliação negativa.