SE TIVER CHAMADAS NÃO ATENDIDAS DE NÚMEROS ESTRANGEIROS NÃO DEVOLVA, É BURLA


O Portal da Queixa tem vindo a receber reclamações por parte de consumidores que já foram alvo deste novo esquema de burla. As operadoras estão a alertar os seus clientes.

Se recebeu uma chamada internacional de um número que não conhece, não devolva o telefonema. Pode ser uma burla. O esquema é simples: dão dois toques à espera que ligue de volta e, se o fizer, ser-lhe-á cobrado o valor de uma chamada internacional que, dependendo do destino poderá oscilar entre 5 a 6 cêntimos por minuto. Polónia, Tunísia e Mónaco são alguns dos países de origem deste esquema que tem afetado dezenas ou centenas de clientes de todas as operadoras em Portugal.

[adinserter block=”8″]

Já chegaram reclamações ao Portal da Queixa

Pedro Durão, relatou ao Portal da Queixa que ” Tinha uma chamada não atendida do seguinte n.º 002165510553. Liguei pois não reconheci o número e vi que começava por 21 ao que associei que seria da zona de Lisboa. A chamada é atendida e vai para uma gravação que informa que foi tentado estabelecer uma ligação telefónica por algum familiar com urgência, solicitando para aguardar, para que a chamada/comunicação possa ser restabelecida. A chamada não foi restabelecida, nem realizada nenhuma comunicação e quando desligámos apercebemo-nos de que pagámos um valor de chamada de valor acrescentado.”

Pedro Lourenço por sua vez, alertou o Portal da Queixa da nova forma de burla com as chamadas telefónicas, embora não tenha atendido desconfiou quando viu o número, “Assim que reparei na chamada não atendida, verifiquei que o número +2165510553, além de ter um + que reperesenta uma chamada com indicativo, tinha mais de 9 digitos (em Portugal os números de telefone têm apenas nove digitos) e por isso não devolvi. Pesquisei na internet pelo número e verifiquei que seria algo pouco credível, através dos relatos de outros consumidores que já tinham sido alvo do esquema.

[adinserter block=”8”]

Não devolva chamadas com indicativos estrangeiros sem conhecer o número

Polónia (+48), Tunísia (+216) e Mónaco (+ 377) são alguns dos países de origem das chamadas, mas sempre com números diferentes. Logo, bloquear os números não resolve o problema, nem o operador pode impedir a a totalidade de chamadas internacionais, afinal, não é possível distinguir uma chamada legítima de uma fraudulenta. Mas ao devolver a chamada o cliente português está a gerar tráfego para esse destino. Uma situação que poderá configurar o que os especialistas designam de Wangiri, termo japonês que significa one ring and cut. Ou seja, entidades fraudulentas detentores de números internacionais, incentivam a geração de tráfego através de chamadas fantasmas massivas e aleatórias, recebendo parte da receita do tráfego terminado nesses destinos.

Os casos ainda não chegaram à Polícia Judiciária (PJ), que “não tem conhecimento” de nenhum fenómeno recente ligado a este tipo de situações com chamadas internacionais. “Na maioria dos casos com chamadas internacionais, as burlas estão relacionadas com serviços de valor acrescentado. Mas podem existir situações em que há um serviço suportado na base, em que o objetivo é incrementar qualquer coisa, por exemplo o tráfego que pode interessar a quem promove essas chamadas”, diz Carlos Cabreiro, coordenador da UNC3T, a unidade da PJ que combate o crime informático, colocando mais dúvidas sobre uma possível tentativa de roubo de dados, apesar de não excluir a hipótese. “Era preciso saber o que está em causa, haver queixas.”

“Para saber se há burla, ou algum crime, temos de ter queixas para analisar”, adianta Carlos Cabreiro, que tem desenvolvido muito trabalho nesta área das telecomunicações, ligados a diversos tipo de crimes ,desde a burla, extorsão ao roubo de dados. O único conselho que se pode dar aos consumidores é ter cuidado com as chamadas efetuadas, sobretudo quando estão envolvidos indicativos internacionais.

Pesquise sempre na internet antes de efetuar algo que o posso colocar em perigo

Fontes: Dinheiro Vivo e Portal da queixa