Sabia que as lâmpadas de eficiência energética causam ansiedade, enxaqueca e até mesmo cancro? Aqui está a razão pela qual deve alterar de volta para as lâmpadas incandescentes ou LEDs!


Muitos de nós no esforço para economizar energia e dinheiro, substituimos as nossas lâmpadas padrão por lâmpadas ecológicas de poupança de energia. No entanto, a nova geração de lâmpadas eficientes é tão tóxica que a Agência de Proteção Ambiental dos EUA criou um protocolo de emergência que precisa de seguir em caso de quebra de uma lâmpada, devido ao gás venenoso que é libertado. Se quebrado dentro, estas lâmpadas libertam 20 vezes a concentração máxima aceitável de mercúrio no ar, de acordo com um estudo conduzido por investigadores do instituto de Fraunhofer Wilhelm Klauditz para a agência federal alemã do ambiente.

As lâmpadas eficientes podem causar:

-Tontura

– Dores de cabeça

-Migraines

– Convulsões

-Fadiga

– Incapacidade de concentração

-Ansiedade

[adinserter block=”8″]

1. As lâmpadas economizadoras de energia contêm mercúrio. O mercúrio é uma potente neurotoxina que é especialmente perigosa para as crianças e mulheres grávidas. É especialmente tóxico para o cérebro, sistema nervoso, fígado e rins. Também pode danificar os sistemas cardiovascular, imunológico e reprodutivo. Ele pode levar levar a tremores, ansiedade, insônia, perda de memória, dores de cabeça, cancro e Alzheimer.

2. Lâmpadas economizadoras de energia podem causar cancro

Um novo estudo realizado por Peter Braun no laboratório de Alab Alemanha Berlim descubriu que estas lâmpadas contêm carcinógenos venenosos que podem causar cancro:

Fenol, um sólido cristalino branco tóxico ligeiramente ácido, obtido do alcatrão de carvão e usado na manufatura química.

Naphthalene, um composto branco cristalino volátil, produzido pela destilação do alcatrão de carvão, usado em bolas de naftalina e como uma matéria-prima para a manufatura química.

 
Estireno, um hidrocarboneto líquido insaturado, obtido como um subproduto de petróleo.

 

3. Lâmpadas economizadoras de energia emitem um monte de raios UV.
As lâmpadas economizadoras de energia emitem UV-B e vestígios de radiação UV-C. É geralmente reconhecido que a radiação UV é prejudicial para a pele (pode levar a cancro da pele) e os olhos. A radiação destas lâmpadas diretamente ataca o sistema imunológico e, além disso, danifica os tecidos da pele o suficiente para evitar a formação adequada de vitamina D-3.
 
Em conclusão, estas lâmpadas são tão tóxicas que nem devem ser colocadas no lixo regular. São resíduos domésticos perigosos. Se partir uma casa, é suposto abrir todas as suas janelas e portas, e evacuar a casa por pelo menos 15 minutos para minimizar a sua exposição ao gás venenoso. Infelizmente, em breve os consumidores não terão a opção de comprar luzes incandescentes porque não estarão disponíveis. A Lei de Independência e Segurança Energética de 2007 (EISA) exige a eliminação progressiva de lâmpadas incandescentes, e favorece lâmpadas fluorescentes compactas de baixo consumo energético (CFL).