Já conheces o álcool de alecrim? Aprende a fazer em casa e a conhece os seus efeitos milagrosos!

O álcool de alecrim é uma das receitas mais antigas e conhecidas nos países mediterrâneos.

Antigamente, era costume as mulheres desses países colher a planta e colocar para macerar em álcool a fim de obter um precioso remédio natural.

O alecrim, sem nenhum exagero, é uma planta super poderosa.

Ele é muito rico em vitaminas e minerais, como vitamina B6, vitamina B2, vitamina A, vitamina C, ferro, magnésio, fósforo, zinco, cálcio e outros antioxidantes.

E a lista de benefícios do alecrim é muito extensa:

ajuda a recuperar o sistema nervoso após uma longa atividade intelectual

ajuda o corpo a assimilar o açúcar, por isso é ótimo para diabéticos

é digestivo e sudorífero

é excelente contra anemia, menstruação insuficiente e problemas de irrigação sanguínea

é excelente contra constipações e bronquites

é indicado para tendinites e dores musculares

é indicado para problemas no coração, como arritmia cardíaca

é ótimo contra cansaço mental e desgaste

é ótimo contra perda de memória

é ótimo para a saúde da pele e contra lesões e queimaduras

é útil contra queda de cabelo e caspa (fazer o chá e enxaguar o cabelo com ele)

estimula o metabolismo, desintoxicando o fígado

O álcool de alecrim, a receita que vais aprender agora, é para ser usado apenas externamente.
Ele é revitalizante, antirreumático, estimulante da circulação, alivia a tensão e a dor muscular, trata contusões, combate tendinites, bursites, varizes, celulite, cãibras e o cansaço muscular.

Deve ser feito preferencialmente com alecrim fresco, recém-colhido. Podes fazer com a erva seca, porém o produto obtido será menos concentrado.

Para fazeres o álcool de alecrim, basta colocares alguns ramos de alecrim numa garrafa de vidro e cobri-los com álcool 70°(vende-se em farmácias).

Deixa descansar 15 dias num lugar escuro.

Agita o vidro todos os dias.

O tempo de maceração pode ser maior, há quem prefira deixar 40 dias, para deixar a preparação ainda mais concentrada de princípios ativos da planta.

Mas 15 dias já é um bom tempo.

Passado o tempo da maceração, coa/filtra o álcool, coloca-o num vidro e bem fechado, protegendo-o da luz e do calor excessivo.

Aplica-o em forma de fricção/massagem.

Não uses o álcool internamente nem nas mucosas e feridas.

Depois de aplicá-lo na pele da região dorida, lava imediatamente as mãos, para que não se corra o risco de levar, por esquecimento, as mãos aos olhos, o que poderia causar uma irritação.

Aplica no máximo 3 vezes por dia.

Este remédio natural não deve ser usado por quem tem epilepsia, grávidas, mulheres que estão amamentando e crianças menores de 7 anos.