ISIS planeia massacre turístico na EUROPA este Verão! Usando explosivos escondidos em espreguiçadeiras!


Várias agências de inteligência europeias acreditam que os monstros do Estado Islâmico estão a preparar ataques em diversos resorts espanhóis, franceses e italianos este Verão!

Os terroristas do Estado Islâmico estão a conspirar para atacar este Verão turistas em férias, principalmente em estâncias espanholas, francesas e italianas. As agências de inteligência alemães e italianas descobriram que os terroristas leais ao ISIS planeiam fazer-se passar por refugiados, vendendo gelados e pequenas coisas para passarem despercebidos.

Os relatórios, que surgiram no jornal alemão Bild, afirmam que os terroristas também estão a preparar ataques com coletes suicidas e com explosivos que serão enterrados debaixo de espreguiçadeiras nas principais praias.

As agências de inteligência dizem que a informação vem de uma “fonte fidedigna” em África, e essa mesma fonte afirma que os terroristas já formaram “planos concretos” para lançar os ataques.

Costa do Sol em Espanha é tida como um dos alvos!
Costa do Sol em Espanha é tida como um dos alvos!

O jornal Bild relata que o ataques terão como alvo multidões na orla marítima assim que os terroristas tenham acesso a armas automáticas, para causar o máximo de baixas possíveis.

Um agente disse ao jornal: “Pode ser uma nova dimensão de terror. As praias de férias não podem ser completamente protegidas.”

Esta notícia é lançada depois da polícia em Palma de Maiorca ter detido um suspeito de colaborador com Estado islâmico.

ISIS

Os oficiais de Maiorca acusaram o homem de promover ataques terroristas na Europa. Também é acusado de ter ligações estreitas com líderes da organização terrorista ISIS, que estão baseados na Síria e no Iraque.

Os oficiais invadiram uma propriedade em Palma de Maiorca para fazer a detenção. Funcionários espanhóis do Ministério do Interior revelaram que a operação policial permitiu “uma rápida neutralização de uma ameaça directa” e descreveu o suspeito como uma “ameaça à segurança nacional.”