Imagens proibidas de Pequim! E prisão!


Um dos melhores vídeos a partir de drones em 2014 foi realizado por Trey Ratcliff, que resolveu colocar o seu quadcopter no ar e filmar a capital chinesa até ser detido pela polícia chinesa!

Trey decidiu fazer este vídeo sem saber o que era legal e ilegal no território. Naturalmente, tinha a impressão de que colocar um quadcopter a sobrevoar a Cidade Proibida poderia ser complicado mas afirmou que as intenções eram somente artísticas.

Pequim é o palco de todo o governo chinês. Assim, decidir voar um drone por ali é como um mergulhador querer fazer de um tubarão branco um touro para montar.

Os primeiros cinco dias de voo decorreram sem problemas. Trey e o seu amigo Tom Anderson, igualmente munido com um equipamento idêntico, estavam-se a divertir bastante e a conseguir filmagens espectaculares. Até voaram sobre polícias em algumas ocasiões, sem qualquer problema.

Eis que, finalmente, surge o problema. No Belhai Park estão todos os edifícios governamentais e Trey resolveu lançar o quadcopter ali. Com as baterias em baixo, Trey decidiu não deixar o drone voar longe e simplesmente o controlou em torno da sua assistente, Ady. Foi comprar pilhas e, no retorno, a Ady estava acompanhada de uma polícia.

Trey aproximou-se, a polícia não falava inglês, fazendo a Ady a tradução, sendo escoltados para uma esquadra próxima. Tom conseguiu esconder-se entre a vegetação. Trey e Ady foram levados através de várias portas de segurança até que se depararam com uma sala onde estavam vários agentes e numa sala do mais seguro que se pode imaginar, ficando o artista com uma impressão de que havia realmente feito algo de muito errado.

Examinaram o quadcopter, a câmara, tudo, questionando – através de uma tradutora – sobre cada detalhe do drone, tudo gravado para as autoridades chinesas. Trey explicou que era um fotógrafo e gostava de captar ângulos únicos, apenas ama tirar fotos e embelezar Pequim.

Notando complacência e mesmo contentamento com a argumentação, retirou o seu Nexus e mostrou a galeria de fotografias, pedindo a Ady que traduzisse. As imagens percorriam os vários países do mundo onde ele, neozelandês, já havia fotografado. A mostra resultou e todos os presentes já apreciavam a mostra fotográfica. De repente, parecia uma festa na cadeia.

Isto durou cerca de 10 minutos. O responsável pelo interrogatório pediu-lhe mesmo o blogue e acabou por libertá-lo, solicitando que não voasse dentro dos dois primeiros anéis da cidade.

No dia seguinte, um outro grupo surgiu no hotel onde Trey estava hospedado, confiscando-lhe a quadcopter e concordando em entregar-lho no aeroporto aquando da sua ‘despedida’. Ele desconfiou que lho devolvessem mas, no dia em que embarcou, lá estavam com o drone.