Encontrados os restos mortais do Ex-deputado do CDS Carlos Morgado


(Última atualização em: 30 Novembro, 2015)

Casal confessa o homicídio, roubo e profanação de cadáver de Carlos Morgado ex-deputado do CDS da Madeira, de 66 anos.

Carlos Morgado foi a uma pensão na qual foi amarrado, forçado a fornecer os códigos dos cartões de multibanco. Foram roubados 300 euros.

A vítima foi espancada, asfixiada e depois esquartejada. O homicídio era planeado pois o casal já tinha sacos para levar as partes do corpo da vítima, que depois enterraram num terreno baldio , onde foi encontrado esta sexta-feira passada, na freguesia do Imaculado Coração de Maria, localizado junto a residências na periferia do Funchal.

img_757x426$2015_11_28_23_41_18_498663

 

Os detidos vão ser presentes a primeiro interrogatório judicial para eventual aplicação de medidas de coação.

“As investigações tiveram por base uma denúncia por desaparecimento de um homem, de 66 anos, ocorrida no dia 01 de Março deste ano, na cidade do Funchal. Apurou-se, graças a um minucioso trabalho de investigação, que os autores do crime conceberam um plano para atraírem a vítima com o intuito de a roubarem e de, posteriormente, lhe provocarem a morte”, refere a PJ, em comunicado.

Ao que se suspeita Carlos morgado foi atraído ao local após ter marcado um encontro sexual com a jovem de 25 anos. No outro quarto estava o marido de 26 anos. Ambos confessaram a PJ o macabro homicídio e onde estava o corpo, encontram-se agora detidos.
Em balanço fica a situação de uma bebé de três semanas que deverá ir para a cadeia junto com a mãe.