Como parar o Alzheimer antes dele começar: 10 coisas que precisa de começar a fazer imediatamente!


O que é a demência?

Demência é um termo usado para um conjunto de sintomas que são causados por distúrbios que afetam o cérebro. Os sintomas podem incluir perda de memória e / ou dificuldades no pensamento, na resolução de problemas ou na linguagem e podem levar a mudanças no humor ou no comportamento. A doença de Alzheimer é a doença mais comum que causa a demência, mas há outras causas, incluindo alterações vasculares, problemas da glândula tireóide, traumatismo craniano, depressão, deficiência de vitaminas, doença de Parkinson, infecções crónicas e medicamentos.

A demência pode ser progressiva se a causa não for tratável, o que significa que os sintomas irão gradualmente piorar à medida que mais células cerebrais ficam danificadas. No entanto, algumas causas são tratáveis e a demência é reversível, por exemplo, se é causada por deficiências de vitaminas, medicamentos ou problemas de tireóide. Se notar sinais de demência é importante consultar um médico de saúde para determinar a causa e tratar desde a raiz.

Nem todas as demências podem ser atribuídas à predisposição genética. Mais facilmente é devido a fatores ambientais, fisiológicos e estilos de vida. Se você ou um ente querido está preocupado com o desenvolvimento de demência, a boa notícia é que pode fazer várias coisas que irão verdadeiramente manter o seu cérebro saudável.

Fatores de risco

Existem factores de risco modificáveis e não modificáveis para a demência. Aqui vamo-nos concentrar naqueles sobre os quais podemos fazer algo! Desenvolvemos 10 estratégias para ajudar a prevenir o desenvolvimento da demência, trabalhando na maioria dos seguintes fatores de risco modificáveis:

  • Má alimentação e deficiências vitamínicas
  • Uso de medicamentos que contribuem para a demência
  • Função da tireóide comprometida
  • Riscos cardiovasculares (colesterol alto, hipertensão arterial, diabetes)
  • Fumar
  • Baixa atividade física
  • Uso de álcool
  • Ferimentos na cabeça

10 maneiras de ajudar a reduzir o risco de demência

1. Minimizar o uso de medicamentos anticolinérgicos

Os anticolinérgicos tem a função de inibir os impulsos nervosos parassimpáticos. O sistema nervoso parassimpático é uma das duas partes principais do sistema nervoso autónomo. Ele regula as atividades que ocorrem quando o corpo está em repouso. Os nervos no sistema parassimpático são responsáveis pelo movimento involuntário dos músculos no trato gastrointestinal, pulmões, trato urinário e outras partes do corpo.

Muitos dos medicamentos para o sono, coração, antidepressivos e alergias (entre outros) têm moderada a forte atividade anticolinérgica no corpo. Um estudo recente de longo prazo mostrou que o uso cumulativo de altas doses de anticolinérgicos está associado a um maior risco de desenvolver demência. Estão a ser feitos esforços para ajudar os prestadores de cuidados de saúde a educar os pacientes sobre quais os medicamentos que têm esse efeito, quão perigoso é e como reduzir o seu uso. Não pare de tomar estes medicamentos de imediato, se você está atualmente com eles, mas esteja ciente e não deixe de ter uma conversa com seu médico sobre como limitar seu uso ou alterar esses medicamentos.

2. Tomar vitamina D

Tanto animais como os humano num pré-teste, mostraram uma correlação entre baixos níveis de vitamina D e declínio cognitivo, levando a sintomas de demência. Suplementar animais com vitamina D é protetor contra processos que levam à demência e doença de Alzheimer. Mais ensaios em humanos em larga escala estão a caminho, mas todas as evidências apontam para o benefício protetor da vitamina D. Sair quando está sol pode não ser suficiente, especialmente nos meses de inverno; Tomar um suplemento é a maneira mais eficaz de obter níveis ideais de vitamina D para a prevenção da demência.

3. Tome óleo de peixe

O ácido Decosahexaenóico (DHA) é uma das gorduras principais no óleo de peixe. Níveis mais baixos de DHA estão associados a um maior desgaste cognitivo e escolar e resultados mais baixos em testes de memória feitos a adultos mais velhos. Estudos mostram que a suplementação com óleo de peixe é mais eficaz nos estados iniciais da demência ou mesmo antes de mostrar qualquer sinal para ajudar na prevenção. Para certificar-se de que está receber os efeitos para impulsionar o cérebro, deve tomar óleo de peixe suficiente (geralmente uma combinação de EPA e DHA) para obter pelo menos 1000mg de DHA por dia. Como sempre, converse com o seu médico antes de iniciar a toma do óleo de peixe, uma vez que a suplementação incorreta pode ter efeitos indesejáveis.

4. Tomar uma vitamina complexo B

Vitaminas B são cofactores em muitos processos celulares. Neste contexto, eles são muito úteis na redução dos níveis de uma molécula chamada homocisteína (HC) – especialmente vitamina B12, B6 e folato. HC é conhecida por danificar o sistema vascular e com um nível elevado pode contribuir para o risco de doença cardíaca, acidente vascular cerebral, ou outros problemas vasculares levando a um declínio cognitivo à medida que o tempo passa. Algo tão simples como tomar um complexo B que inclui 500mcg de B12 pode efetivamente reduzir a HC e reduzir o seu efeito prejudicial sobre o corpo.

5. Seja fisicamente ativo

Fazer com que o seu sangue se movimente e o seu coração bombeie é uma das formas mais eficazes para fortalecer o seu sistema vascular. Esta é a medicina preventiva para quase todos os problemas de saúde crônica! Não precisa de ser um regime de treino intenso; Trinta minutos por dia de atividade moderada como andar, andar de bicicleta, ou jardinagem é o suficiente para ver os benefícios na sua saúde. Aumente ainda mais os benefícios fazendo seu exercício lá fora. Conectando-se com a natureza é inerentemente cura e tem mostrado resultados para reduzir a pressão arterial e diminuir o peso mais rápido do que exercitar dentro de casa.

6. Desafie o seu cérebro tentando algo novo, fazendo palavras cruzadas, quebra-cabeças, ou até aprender uma nova língua

Soa incrível? Isso realmente é preventivo. Estudos mostram que falar mais que uma língua, por exemplo, atrasa o aparecimento de sintomas de demência em quase 5 anos em comparação a adultos idosos que falam apenas uma língua. Outro estudo mostrou que fazer palavras-cruzadas regulares pode atrasar o início do declínio da memória em 2,5 anos.

7. Controlar o consumo de álcool e parar de fumar

O dano causado pelo tabagismo e consumo excessivo de álcool é quase incomparável, e é o que leva a muitos processos de doença crônica. A evidência é forte, os fumantes diários tem um risco 45% mais elevado de desenvolver a doença de Alzheimer quando comparados aos não fumadores ou ex-fumadores. Ao olhar para o risco devido ao consumo de álcool, é interessante notar que as pessoas que bebem quantidades moderadas de álcool (1-6 bebidas por semana) realmente têm o menor risco de desenvolver demência.

Aqueles que não bebem qualquer álcool têm um risco um pouco maior do que bebedores moderados, e aqueles que bebem excessivamente têm o maior risco. Estes resultados podem ser explicados pelo poder antioxidante ligeiro da ingestão moderada de álcool, principalmente a partir do vinho tinto. A ingestão moderada é geralmente considerada como não mais de uma bebida por dia. Isso não sugere que comece a beber se atualmente não o faz para reduzir o seu risco.

8. Proteger contra ferimentos na cabeça durante toda a sua vida

Use um capacete quando anda de bicicleta! Se já sofreu uma concussão, certifique-se de nunca mais causar danos ao seu cérebro, enquanto ele está num estado já agravado. Tenha um cuidado extra para protegê-lo e evitar sucessivas concussões.

9. Permanecer conectado socialmente e interagir com os outros regularmente

Ter uma rede social que é confiável é um dos melhores defensores contra muitas condições de saúde. Interagir regularmente com os outros pode proteger contra os efeitos adversos do isolamento e da solidão. Combine isso com a atividade física ou natureza e obtenha benefícios extra!

10. Acompanhe seus números: mantenha sua pressão arterial, colesterol, glicemia em jejum e peso dentro das faixas recomendadas

Todas estas medidas de saúde cardiovascular e metabólica são alguns dos preditores mais importantes da demência. Estas são as grandes categorias que afetam o risco de não apenas demência, mas doenças cardíacas, acidentes vasculares cerebrais e outras doenças, por isso é realmente do seu interesse controlar esses parâmetros da sua saúde. Seu metabolismo é uma parte disso também – adultos que desenvolvem diabetes tipo 2 a meio da vida são duas vezes mais propensos a desenvolver Alzheimer. Enfrente-os com a ajuda do seu prestador de cuidados de saúde e abordagens naturais.

Estas são algumas das coisas que podem ajudar a proteger a si mesmo e ao seu cérebro de declínio relacionado à idade e demência. Certifique-se de descartar outros problemas de saúde, como disfunção da tireóide ou depressão com um prestador de cuidados de saúde. Enquanto você deve considerar estas sugestões, não se esqueça que apenas ter uma dieta saudável regular com peixes, nozes, sementes e folhas verdes é muito útil para prevenir a demência e por muito mais. O que está impedindo você de cuidar de si mesmo agora para que você e seu cérebro amado possam viver uma velhice saudável? Dê a si mesmo algum autocuidado e incorpore esses hábitos hoje!