Cientistas russos afirmam que a cura da cegueira está próxima.


Cientistas do Centro de Análises Clínicas de Medicina Físico-Química da Rússia (CAC MFQ) cultivam retina através da reprogramação de células; estudos na área ajudarão a curar a cegueira, disse na quinta-feira (1º) o jornal Izvestia.

O transplante será feito, primeiramente, a pacientes que sofrem de degeneração macular hereditária. Mesmo havendo alguns tratamentos que retardam o progresso da cegueira, os pacientes com este problema começam a cegar entre 20 e 30 anos, uma vez que não há, até hoje, um remédio contra ela.

thumbnail_olhos-azuis

Signa Yamanaka, professor na Universidade de Quioto, fez esta fantástica descoberta. Ele constatou a capacidade única de células humanas de determinados tecidos, como, por exemplo, fibroblastos ou epitélio da pele, de mudarem sua estrutura para o estado embrionário.

As células-tronco podem dar origem a quase todo tecido. Por exemplo, a partir dos fibroblastos da pele pode-se criar a retina. Esta operação permitirá tratar, por exemplo, pacientes que estão a perder a visão por causa de degeneração macular — doença que é causadora da cegueira em pessoas com mais de 55 anos”, escreve o jornal, citando o diretor geral do CAC MFQ, Vadim Govorun

O Laboratório de biologia celular afirmou ao jornal que a pela é o tecido mais fácil de ser trabalhado no método de reprogramação celular. Tal deve-se, ao facto de, a realização da biopsia não causar danos graves ao paciente e as células se multiplicarem significativamente.

Segundo o chefe do Laboratório de Tecnologias Biomédicas do CAC MFQ, Sergei Kiselev, estão a ser executados testes clínicos de transplante de retina atualmente nos EUA e na Europa. Foram também realizados no Japão, mas temporariamente suspensos devido a mudanças na legislação. Porém, o país pretende seguir com o desenvolvimento da técnica em 2017.