A ciência descobriu quais os seios perfeitos. Afinal não era como pensávamos…


De acordo com um estudo publicado pela revista Plastic and Reconstructive Surgery, existe um formato ideal para os seios femininos.

seios-630x330

Em um estudo científico feito com intenção de ajudar vítimas de cancro da mama com a implantação de seios por meio de cirurgia plástica, um grupo de cientistas britânicos reuniu cerca de 1.315 pessoas com a finalidade de descobrir, através de fotografias, qual o formato ideal para os seios femininos. Entre os entrevistados estavam homens, mulheres e cirurgiões plásticos.

plastica-silicone-seio-mama-20120509-size-620

Segundo eles, os formatos vencedores, entre os três grupos, consistiam em dois tipos de seios: um que era composto por 45% do tecido mamário que ia para baixo da linha do mamilo, e outro por 55% de tecido.
0027
Para eles, esse modelo compõe uma forma mais “natural”, similar ao seio da famosa Vênus de Milo, uma estátua da Grécia Antiga, localizada no Museu do Louvre, em Paris.

Estatua-Venus-de-Milo

Essa constatação pode ser decepcionante para quem acreditava que os seios avantajados, como os da atriz Pamela Anderson – conhecida pela série Baywatch que fez muito sucesso nos anos 90 – era a “anatomia ideal”. Embora, por um tempo eles tivessem caído no gosto das celebridades e estrelas do mundo pornô, perderam espaço para o tamanho natural, que é preferência para a maioria das pessoas.

Pamela_Anderson

Segundo os pesquisadores, Patrik Mallucci, da clínica inglesa Cadogan, e o Dr. Olivier Brandford, da fundação Royal Free Hampstead NHS, também em Londres, “particularmente nos Estados Unidos, nas décadas anteriores, os cirurgiões plásticos haviam usado implantes que eram frequentemente circulares e preenchidos com uma solução salina. Estes, inevitavelmente davam um formato de ‘bola de futebol’, ou o tipo de seios ‘Baywatch’, como eram conhecidos”, escreveram.

No entanto, por mais que a pesquisa soe como uma nova forma de ditar algum padrão de beleza, os especialistas garantem que ela não possui nenhuma intenção de fazer com que algumas mulheres se sintam inferiores. Para eles, o estudo pode ajudar de forma maravilhosa as sobreviventes de câncer de mama que têm o desejo de reconstruir os seios e estão procurando por uma forma agradável e ideal para fazê-lo.